Desconstrução

Eu não me vejo na palavra
Eu não me vejo nas entre linhas
Eu não me vejo em tanto lugar.

Acabo por tentar encontrar
Algum lugar para repousar
Eu que tanto me desencontro
Desconfiguro meu rosto, minha alma,
Aprenderei a encontrar minha face no espelho em que se perdeu?

Me resta criar um rosto simétrico,
Uma alma pura, um bom coração,
Tudo se perdeu na desconstrução,
A mais dolorosa que pude presenciar,
Silenciosa e constante,
Tão dolorosa quanto o último dia do céu de abril,
O mesmo dia em que você fez o melhor por mim, apenas por que foi o melhor para você.

Eu me vi a um tempo atrás,
No ponto de ônibus,
Na porta aberta,
Nos beijos,
Na falta,
Nas lágrimas,
Saudade,
Eu tive!
Não sei.
Nunca saberei, nem porquê precisei dizer adeus,
Nem porquê isso soa tão cruel.

Eu precisei partir, e correr atrás de mim
Eu me perdi totalmente, me dissolvi totalmente,
E não há nada que você saiba sobre o que há de novo aqui.

Não aprendi a esquecer,
Mas aprendi a ser só!
Foi uma grande vitória sobre mim,
Porém sou programado para lembrar,
E então eu lembro
Eu lembro de tudo,
Do sim,
Do não,
Eu lembro de tudo mesmo sendo uma nova versão de mim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s